Enable javascript in your browser for better experience. Need to know to enable it? Go here.

Ao longo do ano passado, nossos tecnólogos e parceiros continuaram a apoiar os esforços de países ao redor do mundo traçando um caminho para sair da pandemia. Em conjunto, estamos contribuindo para soluções que constroem uma compreensão coletiva de como doenças como a COVID-19 se espalham e impactam as populações.

 

Enquanto tantos recursos estão concentrados na pandemia, é vital que não percamos de vista outras questões que pressionarão significativamente os sistemas de saúde a longo prazo, ou seja: áreas onde a saúde está falhando, envelhecimento da população. Nossas principais iniciativas na área da saúde estão focadas na capacitação dos sistemas de saúde para gerenciar esses desafios e ampliar o acesso aos cuidados em comunidades onde permanece inadequado ou disponível apenas para alguns poucos grupos selecionados.

 

A experiência dos últimos anos destacou tanto as enormes desigualdades nos cuidados de saúde em todo o mundo quanto o devastador custo humano quando os serviços de saúde ficam sobrecarregados. É uma verdade lamentável que, devido em parte ao legado da globalização e aos impactos das mudanças climáticas, mais crises de saúde desse tipo provavelmente surgirão no futuro. A aplicação de tecnologia para melhorar a precisão, o alcance, a qualidade e a acessibilidade dos cuidados é uma das melhores maneiras de garantir que, se as crises não puderem ser evitadas, elas possam pelo menos ser gerenciadas de forma rápida – e mais justa.

Tornando as pandemias mais previsíveis

 

Para profissionais de saúde e órgãos formuladores de políticas, prever com precisão a trajetória de uma pandemia é essencial para formular uma resposta proativa. A falta de dados históricos e as variáveis únicas que moldam qualquer doença tornam esse objetivo indescritível. Nossa iniciativa Engineering for Research (E4R) uniu forças com especialistas da Universidade Ashoka da Índia para preencher essa lacuna de informações desenvolvendo um framework de modelagem e simulação baseada em agentes que esclarece a propagação de doenças, incluindo a do COVID-19.

 

Young girl wearing a mask at school in India

 

O framework, BharatSim, é inspirado em nosso framework de código aberto EpiRust e permite que os pesquisadores introduzam e entendam a disseminação de um patógeno por meio de uma sociedade virtual sob várias condições reais, como bloqueios seletivos ou deslocamento em massa. Como uma estrutura de simulação "baseada em agente", as complexidades das interações entre os indivíduos podem ser capturadas e, ao minimizar a necessidade de gerenciamento de memória ou alterações no código-fonte, a equipe garantiu que ela permanecesse rápida, flexível e altamente escalável.

 

A abordagem pode modelar as condições do mundo real em grandes cidades como Mumbai e Pune, com mais de 10 milhões de habitantes. Ele ajuda os pesquisadores a entender a eficácia dos bloqueios e outras intervenções e fornece estimativas dos requisitos de leitos hospitalares. Há esforços em andamento para expandir as capacidades da estrutura para modelar um segmento mais amplo da população indiana, até 40%.

Contribuindo para o estudo da demência 

 

O rápido envelhecimento da população tem profundas implicações para os sistemas econômicos e de saúde globalmente. Portanto, quanto mais soubermos sobre o processo de envelhecimento, melhor. Construir esse conhecimento é a intenção de uma iniciativa que estamos apoiando na Universidade de Sydney. Hoje, na Austrália, até 472.000 pessoas vivem com doenças relacionadas à demência e até 337.200 mais estão fornecendo a esses indivíduos cuidados consistentes, mas não remunerados. Com a proporção da população australiana com mais de 65 anos de idade definida para mais que dobrar até 2057, espera-se que os efeitos desse conjunto complexo de doenças aumentem drasticamente. A expansão da pesquisa é fundamental.

 

Trabalhamos com a Universidade de Sydney há vários anos e, em 2021, trabalhamos para refinar seu sistema de correspondência de voluntários — StepUp — que conecta cidadãos a pesquisadores acadêmicos. Isso torna mais fácil encontrar pessoas dispostas a discutir suas experiências com essa condição ainda altamente estigmatizada e capacita essas mesmas pessoas a contribuir para a descoberta de novos tratamentos.

 

“Gostaríamos de agradecer o apoio e parceria contínuos que a ThoughtWorks forneceu ao StepUp para permitir que essa plataforma se tornasse uma parte importante da infraestrutura de pesquisa para pesquisadores de demência. O StepUp agora está preenchendo uma grande lacuna na pesquisa relacionada à demência e ao envelhecimento na Austrália.”
 
Professora Robyn Ward
Executive Dean and Pro-vice Chancellor, Faculty of Medicine and Health, University of Sydney

Bahmni – um bem público digital 

 

Bahmni é um sistema de gerenciamento de informações hospitalares de código aberto para configurações de poucos recursos. A Thoughtworks tem sido sua principal colaboradora há uma década — como parte da coalizão Bahmni desde 2017. Hoje, Bahmni continua a ganhar reconhecimento e se beneficiar de melhorias constantes. Em 2021, foi oficialmente adicionado ao registro de Bens Públicos Digitais mantido pela Digital Public Goods Alliance, certificando-o como um projeto baseado em princípios genuinamente de código aberto que ajuda a impulsionar o progresso em direção aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

 

O ano também viu novos recursos adicionados aos sistemas integrados de registro médico, gerenciamento de laboratório e faturamento da Bahmni, incluindo: recursos de teleconsulta para ajudar profissionais da medicina a gerenciar surtos de COVID-19; e o uso de 'dockerização' ou contêineres para melhorar a instalação e portabilidade de aplicativos. Na Índia, a Bahmni se tornou a primeira solução de código aberto desse tipo a obter a certificação de integração e segurança da Ayushman Bharat Digital Mission (ABDM). Isso faz parte da infraestrutura de saúde digital nacional emergente, e um lançamento piloto bem-sucedido foi realizado nessa capacidade no estado de Bihar. 

 

“Bahmni foi uma solução projetada para possibilitar cuidados de saúde de qualidade em locais que tradicionalmente lutam para fornecer esses serviços devido à falta de recursos. Ao ajudar profissionais a alcançar mais pacientes e elevar os padrões e a disponibilidade de informações médicas relevantes, contribuiu significativamente para reduzir as desigualdades no atendimento onde foi adotado. Esperamos que seu reconhecimento como Bem Público Digital lhe dê mais visibilidade global e estimule mais contribuições ao sistema, seja na forma de financiamento ou melhorias tecnológicas, porque desde o início é um esforço coletivo.”

 

Sudhir Tiwari

Co-Managing Director, India, Thoughtworks

Olhando para o futuro, a Thoughtworks está investindo pesadamente em Bahmni em 2022 para expandir sua capacidade de atender às milhares de pequenas clínicas em toda a Índia que apoiam a saúde de um bilhão de pessoas. Essa capacidade expandida de criar contas de saúde digital para pacientes em Bahmni no ponto de atendimento fortalecerá significativamente o alcance do ABDM, que está construindo a espinha dorsal da infraestrutura digital integrada de saúde em toda a Índia, centralizando o paciente.

 

Desde 2010, a Thoughtworks tem investido consistentemente em Bahmni, construindo sua infraestrutura central, trabalhando diretamente com hospitais piloto, apoiando implementações e ampliando suas capacidades. Investimos várias equipes da Thoughtworks de todo o mundo ao longo da última década e, em 2022, estamos aumentando esse compromisso porque, como a única solução de código aberto certificada pela ABDM, acreditamos que esse investimento é crucial para as extensas necessidades de saúde da Índia.

Explore os capítulos

Introdução: Sustentabilidade, solidariedade e serviços

Capítulo um: Tecnologia responsável e inovação

Capítulo dois: Além da diversidade

Capítulo três: Inclusão e justiça social

Capítulo quatro: Sustentabilidade e ação climática

Capítulo cinco: A saúde como um direito humano

Capítulo seis: Educação

Capítulo sete: Operando com integridade

Nossa abordagem de transformação social