Enable javascript in your browser for better experience. Need to know to enable it? Go here.

Nossa abordagem deliberada e orientada à ação para Diversidade, Equidade e Inclusão (DEI) desempenha um papel nas realizações extraordinárias de nossas equipes e construiu uma classificação DEI líder do setor entre nossas pessoas [1]. Mulheres e minorias de gênero sub-representadas (MMGS) agora compõem a maioria de nossa liderança executiva [2]

"Por muitos anos, nossa abordagem à DEI tem sido fundamental para nossos valores, cultura, visão, comunidade e estratégia de negócios. Entendemos desde o início que o verdadeiro valor de DEI só pode ser percebido se estiver integrado em todos os aspectos do negócio, entre funções e especificamente dentro das equipes." 
 
Fonte: The DEI and Business Agility Series, de Tina Vinod e Vishal Prasad

Nós assimilamos DEI em todos os aspectos de nossas operações, complementando os princípios Agile que estão no centro de como entregamos software para e com clientes. Agile e DEI são alementos construídos sobre muitos valores semelhantes – colaboração, adaptabilidade, flexibilidade e oferecendo um espaço seguro para todas as pessoas. Mas à medida que nos aprofundamos na criação de um espaço equitativo para que todos contribuam, esses pontos em comum não são suficientes – também é essencial desafiar noções preconcebidas do que é normal.

 

Esse processo de questionamento inclui reavaliar as suposições subjacentes aos princípios e práticas ágeis com o objetivo de erradicar o viés inconsciente. Um exemplo óbvio é o termo ‘stand-up’ para descrever o ritual de reunião diária em muitas equipes ágeis. Embora enfatize a necessidade de conduzir uma reunião de maneira ativa para mantê-la curta e nítida, cria uma sensação diária de exclusão para os funcionários que não conseguem se levantar. Vamos também considerar como pessoas com deficiência auditiva ou visual, ou pessoas neurodiversas que lutam para ser produtivos em um espaço de trabalho barulhento, podem ser limitadas de trazer o seu melhor pelo ambiente.

 

Como empresa e setor, há muito que podemos alcançar reexaminando nossas formas de trabalhar, para tornar nossos processos mais sensíveis a pessoas de diferentes origens, culturas e habilidades. Na Thoughtworks India, desenvolvemos uma iniciativa para tratar exatamente desse problema. O contrato social da equipe inclusiva [3] que é um exercício para que equipes e indivíduos revejam as formas existentes de trabalho e ajudem a definir comportamentos e normas sociais coletivamente aspiracionais para melhorar a conexão, a empatia, o engajamento, a colaboração e muito mais. Requer que as equipes identifiquem e ajustem processos de trabalho tendenciosos ou não inclusivos em quatro áreas principais: como as reuniões são agendadas e realizadas, construção de confiança, práticas de comunicação e normas de engajamento. O contrato social é revisto toda vez que um novo membro entra na equipe e adaptado para garantir que todas as pessoas se sintam incluídas e confortáveis.

A group of five technologists having a relaxed meeting, some standing, some sitting in an office, in the background are windows and a whiteboard they have been using

Para além do gênero e outros rótulos

 

A Thoughtworks alcançou avanços significativos para aumentar a representação de MMGS em toda a nossa organização. Em 31 de março de 2022, as MMGS representavam mais de 40% de nossa força de trabalho global, 38,3% das funções de tecnologia e 62,6% das pessoas em funções não relacionadas à tecnologia [4]. Estamos nos esforçando para chegar a 40% de MMGS em funções de tecnologia até o final de 2022, e refletimos constantemente sobre como atraímos, retemos e promovemos MMGS em todas as regiões para garantir essa meta.

 

 

Mulheres e minorias de gênero sub-representadas na Thoughtworks

Ring charts showing the representation of WUGM at Thoughtworks: 40.8% in all roles, 38.3 in tech roles, 62.6 in non tech roles and 60% of our executive officers Ring charts showing the representation of WUGM at Thoughtworks: 40.8% in all roles, 38.3 in tech roles, 62.6 in non tech roles and 60% of our executive officers

Fonte: https://www.thoughtworks.com/pt-br/about-us/diversity-and-inclusion/our-people

 

 

No entanto, nosso trabalho não para por aí. Nós nos esforçamos para criar um espaço justo e inclusivo tanto para as pessoas que fazem parte da Thoughtworks quanto para a indústria de tecnologia em geral. Não acreditamos que a proporção de WUGM em tecnologia seja apenas um problema de pipeline. É sobre as desigualdades sistêmicas que existem e impactam desproporcionalmente os sub-representados. Mas, criticamente, trata-se também de fazer com que todas as pessoas na sala se sintam valorizadas como tecnologistas e proporcionar-lhes oportunidades iguais para avançar e crescer.

 

Lenta mas seguramente, estamos quebrando preconceitos à medida que introduzimos novas vozes, perspectivas e normas no sistema. Estamos honrados que nossos esforços para melhorar a inclusão LGBTQIA+ tenham sido reconhecidos pelo Indian Institute of Management Bangalore. A convite do instituto, a Thoughtworks India co-criou um estudo de caso para documentar nossa jornada de inclusão LGBTQIA+.

 

Este estudo de caso mostra como as organizações podem construir uma cultura acolhedora e inclusiva e espaços seguros para pessoas LGBTQIA+, juntamente com os processos necessários para tal. Isso pode variar desde o fornecimento de banheiros neutros em termos de gênero a programas de treinamento inclusivos, até a opção de profissionais declararem seus pronomes pessoais em sistemas internos. Este estudo de caso está disponível no site da Harvard Business Publishing e foi citado como um dos mais impactantes sobre o tema. Servirá como um recurso de aprendizagem para estudantes de gestão de negócios, que em grande número ocuparão cargos de liderança em grandes corporações e moldarão conversas sobre a inclusão de DEI e LGBTQIA+ em toda a Índia para a próxima geração.

Ajudando pessoas com deficiência a progredir no ambiente de trabalho

 

A pressão por uma sociedade mais igualitária e inclusiva precisa de mudanças sistêmicas e da participação de muitos setores – com o papel de instituições educacionais sendo fundamental para abrir oportunidades mais igualitárias e definir o caminho para carreiras de sucesso. Para isso, trabalhamos com muitas organizações onde o talento tecnológico é promovido.

 

Uma dessas instituições é a Escola Informal de TI na Romênia, uma organização sem fins lucrativos que cultiva a próxima geração de talentos em tecnologia por meio de cursos e orientação de profissionais de TI. A Thoughtworks Romania iniciou o projeto IT4Teens, que forneceu à escola suporte para um curso de programação online para estudantes do ensino médio com deficiências. A segunda etapa do curso é reconhecida com um diploma e a terceira etapa oferece a estudantes a oportunidade de obter credenciais reconhecidas pelo Ministério da Educação da Romênia e pelo Ministério do Trabalho, abrindo caminho para carreiras em tecnologia.

Autism CRC & Vulcan Coalition logos

Além de equipar pessoas de grupos sub-representados com habilidades profissionais, um esforço extra precisa ser feito para aumentar sua visibilidade no mercado de trabalho. Para esse fim, unimos forças com o Autism CRC da Austrália — a primeira organização nacional de pesquisa cooperativa focada no autismo no mundo — para aumentar o perfil e a percepção de indivíduos diagnosticados com autismo. Thoughtworkers compartilharam suas experiências para o desenvolvimento do myWAY Employability, uma ferramenta de gerenciamento de carreira baseada na web para ajudar jovens autistas a descobrir seus interesses, combinar com oportunidades de trabalho que se alinham com suas preferências e perfis e trabalhar sistematicamente em direção a seus objetivos profissionais. Planejamos expandir nosso trabalho com o Autism CRC nos próximos meses e desenvolver ferramentas digitais que ajudem professores a criar ambientes de sala de aula mais amigáveis ao autismo.

 

Também temos orgulho de ter colaborado com organizações que desenvolvem tecnologia inclusiva e aprimoram a empregabilidade de pessoas com deficiência (PcDs), como a Vulcan Coalition da Tailândia. A Vulcan Coalition cocria ferramentas de IA com PcDs para aprimorar suas habilidades tecnológicas, fornecendo-lhes o caminho para carreiras de sucesso. O impacto potencial na indústria de IA da Tailândia e no progresso econômico e social do país é significativo. Entre as mais de 800.000 pessoas identificadas como PcDs em idade ativa na Tailândia, atualmente apenas um terço tem acesso ao emprego, enquanto mais de um terço permanece dependente de financiamento estatal [5]. Estamos apoiando os esforços da Vulcan Coalition para mudar isso selecionando e testando um sistema de gerenciamento de aprendizado projetado para PcDs. Ampliamos nossa parceria inicial realizando um workshop de descoberta em uma plataforma de correspondência de vagas para pessoas com deficiência.  

 

Usando a tecnologia para alcançar populações vulneráveis e melhorar o bem-estar mental

 

A saúde mental tornou-se um desafio premente para profissionais de todas as indústrias e todas as gerações após a pandemia. [6]

 

Internamente, temos canais formais e informais, como programas de assistência e um grupo de bate-papo global para Thoughtworkers discutirem e compartilharem dicas sobre bem-estar mental — um espaço vibrante com cerca de 700 participantes. Nossos programas regionais de assistência oferecem acesso a recursos de saúde mental, e nossas equipes de pessoas e comunicações garantem meios para que Thoughtworkers busquem ajuda para cuidar de seu bem-estar mental.

 

"Para criar uma cultura de bem-estar, temos que prestar atenção às necessidades individuais e holísticas. Estamos constantemente repensando o que é possível para que o cuidado com nosso povo seja cultivado coletivamente."
 
Grazi Mendes
Head de Diversidade, Equidade e Inclusão, Brasil, Thoughtworks

Na China, onde 20% das pessoas estudantes universitárias estão lidando com vários graus de saúde mental ou distúrbios psicológicos [7], uma enorme lacuna de saúde mental nas universidades precisa ser abordada com urgência. A Morning Public Welfare, uma organização em Wuhan que oferece apoio a pessoas com problemas de saúde mental, está focada em fechar essa divisão. Em conjunto, realizamos um workshop de dois dias em que estudantes trabalharam para projetar uma solução destinada a melhorar a conscientização sobre saúde mental de colegas. O resultado foi uma visão e um projeto para um museu interativo online de ciências da saúde mental que fornecerá um rico recurso para estudantes que enfrentam ou desejam aprender mais sobre desafios psicológicos ou emocionais.

 

Two of our partner logos: Todo Mejora logo ( a heart) and Public Morning Welfare (in Chinese)

 

A conveniência e a privacidade que as avenidas digitais oferecem estão criando oportunidades para as pessoas buscarem o conselho de profissionais de saúde mental confiáveis em um espaço virtual seguro. Todo Mejora faz parte do projeto global It Gets Better, que oferece aos jovens LGBTQIA+ uma rede comunitária de apoio e recursos educacionais. Trabalhamos em conjunto para transformar seu aplicativo móvel, plataforma web e práticas organizacionais com o objetivo de otimizar os serviços de apoio emocional e prevenção ao suicídio oferecidos a jovens LGBTQIA+ no Chile.

 

Começamos com um workshop para entender os recursos necessários para um aplicativo que serve como linha de prevenção ao suicídio para jovens LGBTIQA+ em situação de violência. O resultado foi a melhoria da Hora Segura, ou 'Hora Segura', uma linha de apoio pioneira para jovens em situação de risco, com voluntariado treinado. Continuamos a apoiar o Todo Mejora desenvolvendo sua plataforma e construindo o roteiro do produto para melhorar a funcionalidade do aplicativo.

 

"DEI para nós é algo completamente incorporado, não apenas em quem somos, mas também no que fazemos e como trabalhamos em conjunto. Os valores de inclusão e equidade definem a forma como trabalhamos e interagimos e a forma como nos apresentamos. É uma grande parte do que nos torna uma comunidade, e não apenas uma empresa."
 
Joanna Parke
Chief Talent Officer, Thoughtworks

 

Além de trabalhar com parceiros que apoiam desafios de saúde mental de longo prazo, formamos parceria com aqueles que fornecem suporte rápido a indivíduos e comunidades afetados por eventos traumáticos. Após os devastadores incêndios florestais australianos, a Thoughtworks ajudou uma rede de profissionais da medicina que criaram um grupo de apoio para pessoas afetadas pelos incêndios. O objetivo era digitalizar um curso de 12 semanas que o grupo desenvolveu para ajudar a alcançar mais pessoas que lidam com traumas. Com nossa assessoria técnica, foram capazes de identificar uma plataforma SaaS que atendeu às suas necessidades e orçamento, e também receberam nossos conselhos de design e recomendações para a atualização do site. Continuaremos a ajudar a desenvolver a solução para maximizar seu alcance e impacto.

 

Explore os capítulos

Introdução: Sustentabilidade, solidariedade e serviços

Capítulo um: Tecnologia responsável e inovação

Capítulo dois: Além da diversidade

Capítulo três: Inclusão e justiça social

Capítulo quatro: Sustentabilidade e ação climática

Capítulo cinco: A saúde como um direito humano

Capítulo seis: Educação

Capítulo sete: Operando com integridade

Nossa abordagem de DEI