Enable javascript in your browser for better experience. Need to know to enable it? Go here.
Neste capítulo examinamos como estamos trabalhando para reduzir nossa própria pegada de carbono e usando a tecnologia para identificar e mitigar os impactos negativos das mudanças climáticas.

Princípios: enfrentando uma crise global sistêmica e compartilhada

 

Embora recentemente ofuscada pela pandemia de covid-19 (1), a mudança climática é, de longe, o maior e mais urgente desafio enfrentado pela humanidade. Os impactos negativos do aquecimento global já são evidentes e estão se acelerando. Ações urgentes e concretas são necessárias para evitar os piores cenários, que incluem a destruição total do único ecossistema que a humanidade pode habitar. 

 

Mitigar os riscos relacionados às mudanças climáticas exige que empresas, governos e indivíduos transformem suas formas de trabalhar e de se comportar. Uma transição viável deve ser construída com base na ação coletiva e no reconhecimento de que nem todas as pessoas ou grupos são igualmente responsáveis ou afetados pelos impactos das mudanças climáticas. Grande parte da poluição e da extração de recursos por trás do aumento das temperaturas pode ser atribuída às nações industrializadas. A reparação desses danos por parte dessas nações deve fazer parte de qualquer estratégia de transição, ao lado de planos e recursos que possibilitem soluções mais sustentáveis de desenvolvimento econômico e tecnológico.

Amanda Ting
A Thoughtworks está em uma jornada para lidar, cuidadosamente, com nosso impacto climático nos próximos anos. Embora isso possa ser uma pequena contribuição para o problema mais amplo, esperamos que seja possível nos conectar com nossa base de clientes, parcerias e indústria em geral para ampliar esse impacto. Nós daremos um suporte que permita que a sustentabilidade esteja sempre presente nas mentes de nossos times e negócios e na forma como trabalhamos e vivemos, bem como para que possam descobrir maneiras novas e criativas de diminuir nossa pegada de carbono.
Amanda Ting
Sustainability Global Programme Lead, Thoughtworks
A Thoughtworks está em uma jornada para lidar, cuidadosamente, com nosso impacto climático nos próximos anos. Embora isso possa ser uma pequena contribuição para o problema mais amplo, esperamos que seja possível nos conectar com nossa base de clientes, parcerias e indústria em geral para ampliar esse impacto. Nós daremos um suporte que permita que a sustentabilidade esteja sempre presente nas mentes de nossos times e negócios e na forma como trabalhamos e vivemos, bem como para que possam descobrir maneiras novas e criativas de diminuir nossa pegada de carbono.
Amanda Ting
Sustainability Global Programme Lead, Thoughtworks

Essas considerações são uma parte importante do roteiro de mudança climática que estamos desenvolvendo para garantir que nossas ambições se traduzam em ação. Nós estamos trabalhando para obter uma imagem mais precisa de nossa pegada de carbono e identificar maneiras de reduzi-la. Também estamos levando em consideração as mudanças climáticas na tecnologia que construímos, lançando soluções como nossa oferta de green cloud, que tem o potencial de contribuir diretamente para a redução de emissões.

 

Nos próximos cinco anos, pretendemos incrementar as alternativas tecnológicas sustentáveis para nossa base de clientes e parcerias, contribuir para as redes globais e locais que trabalham na mitigação das mudanças climáticas e trazer vozes pouco representadas para essa conversa vital. 

Na prática

 

A mudança climática é uma questão multidisciplinar. Estamos trabalhando em vários caminhos paralelos, tanto para reduzir nosso impacto ambiental quanto, junto a nossas parcerias, acelerar a mudança para formas mais equilibradas de crescimento.

 

Imagem decorativa: Thoughtworker no Brasil olhando para a câmera, com um arco-íris desbotado ao fundo Imagem decorativa: Thoughtworker no Brasil olhando para a câmera, com um arco-íris desbotado ao fundo

Compromisso com a descarbonização em 2019

A ação do setor privado é crucial para evitar uma catástrofe climática. Em 2019, nos juntamos a outras empresas de destaque na Science Based Targets initiative (SBTi), uma parceria que reúne o Carbon Disclosure Project (CDP), o Pacto Global das Nações Unidas, o World Resources Institute e o Worldwide Fund for Nature. O SBTi foi projetado para ajudar as empresas a identificar com precisão a escala e a velocidade das reduções de emissões necessárias para prevenir os impactos mais severos das mudanças climáticas.

Junto à SBTi, estamos examinando um amplo campo de categorias de dados, desde viagens e consumo de eletricidade a questões como o uso de refrigeração em nossos escritórios em todo o mundo. Com esses dados, poderemos identificar as melhores oportunidades para definição de metas ambiciosas de redução de emissões e guiar nosso plano a partir daí. É inerente à nossa cultura compreender totalmente o quadro geral em vez de nos anteciparmos com promessas irreais ou potencialmente de baixo impacto. O zelo e a reflexão aplicados na configuração do programa irão, cuidadosamente, garantir que nossas prioridades sejam as corretas e que cumpramos ou superemos todos os compromissos assumidos.

 

 

Uma plataforma tecnológica para avançar os ODS da ONU

 

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU são uma iniciativa importante para um mundo mais igualitário, ecologicamente correto e pacífico. Nós apoiamos a realização dos ODS em grande parte do nosso trabalho de sustentabilidade e transformação social. Essa conexão ficou evidente em uma recente parceria com a US Coalition on Sustainability (USCS), uma organização sem fins lucrativos inovadora, que busca alavancar a tecnologia para ajudar empresas, investidores e outras partes interessadas que trabalham em prol dos ODSs, estimulando a colaboração e aprendizagem coletiva.

Trabalhando com a USCS, lançamos uma versão beta da SustainChain™, uma plataforma inovadora entre pares que reúne marcas e grupos investidores de impacto para compartilhar desafios e melhores práticas, além de encontrar oportunidades de trabalho conjunto. A SustainChain ™ permite que sua base de participantes acompanhe o progresso em direção a ODS específicos e, até mesmo, encontrem soluções para financiar, testar e escalar. A plataforma foi lançada publicamente na Assembleia Geral da ONU, no final de 2020, e continua ganhando força significativa na indústria.

Trazendo sustentabilidade para a nuvem

A arquitetura em nuvem possibilitou ganhos massivos de flexibilidade e redimensionamento, mas ela vêm com um custo ambiental significativo se não forem otimizada de forma adequada. As centrais de dados são responsáveis por cerca de 1% das emissões globais de eletricidade e gases de efeito estufa, (2) e esse número tende a crescer à medida que os volumes de dados continuam a aumentar.

Construir requisitos de sustentabilidade na estratégia de nuvem pode gerar dividendos ambientais consideráveis, assim como economia de custos. Internamente e em nosso trabalho com clientes, estamos implementando a otimização de green cloud para reduzir as emissões de carbono e os gastos com a nuvem.

 

Nossa nova solução de código aberto, Cloud Carbon Footprint, fornece visibilidade e ferramentas para medir e monitorar os dados de uso da nuvem, ajudando as equipes a produzir métricas de sustentabilidade que podem ser compartilhadas com stakeholders. Nosso time identifica áreas de atenção que fornecerão os maiores retornos em termos ambientais e de investimento, procurando maneiras de reconfigurar, otimizar ou rearquitetar o uso da nuvem, assim como de auditar o uso de SaaS (software como serviço) para sugerir alternativas mais sutentáveis ou formas mais ecológicas de usar provedoras de nuvem.

 

Gráfico de rosca mostrando um ícone de nuvem e 92%
Os gastos corporativos com nuvem pública não demonstram sinais de desaceleração, com alguns tipos de gastos com nuvem crescendo 92% ao ano.
Gráfico de rosca mostrando um símbolo de eletricidade e 8%
É provável que a indústria de TIC seja responsável por 8% da demanda total de eletricidade até 2030 - um incremento de 15 vezes em relação a 2010.
Gráfico de rosca mostrando um ícone mundial e 2 a 6%
A indústria de TIC tem contribuído com 2–6% das emissões de gases de efeito estufa desde 2007 – mesmo nível da aviação.
Gráfico de rosca mostrando um calendário e 45%
Para cumprir as metas do Acordo Climático de Paris a indústria precisará reduzir as emissões de carbono em 45% nos próximos 10 anos.

 

Habilitar equipes de desenvolvimento para criar e executar novas práticas recomendadas em otimização de green cloud também é importante neste esforço, para que as organizações possam continuar a progredir no caminho da nuvem sustentável.

 

Saiba mais sobre nosso trabalho de sustentabilidade