Menu

Três erros comuns de Lideranças Técnicas de Primeira Viagem

Não deixe de ler o post anterior do autor com 5 dicas para ser uma Liderança Técnica eficaz.

A primeira vez que uma pessoa desenvolvedora assume um papel de Liderança Técnica pode ser difícil. As habilidades e experiência de uma pessoa desenvolvedora experiente não se traduzem automaticamente em habilidades necessárias para o papel de Liderança Técnica. Na verdade, alguns de seus hábitos podem fazer mais mal do que bem, quando não forem bem aplicados e com mais autoridade neste novo papel.

Neste artigo, vamos explorar três armadilhas comuns que Lideranças Técnicas de primeira viagem enfrentam, e o que é possível fazer para evitá-las.

1. Programar em período integral

Lideranças Técnicas de primeira viagem vão sentir falta de escrever código. Na verdade, é comum que elas suponham ser necesssário demonstrar liderança escrevendo código o tempo todo. Embora Lideranças Técnicas eficientes precisem passar algum tempo escrevendo, lendo e revisando código, outras responsabilidades deixam de ser cumpridas quando se passa muito tempo escrevendo código, como criar uma visão técnica e garantir que o time entenda os principais atributos de qualidade do sistema.

Uma falta de visão técnica pode levar a três implementações diferentes, uma vez que pessoas desenvolvedoras podem tomar decisões individuais sobre o que sentem que é melhor, ou uma implantação pode falhar porque elas não estão cientes das restrições operacionais ou diferenças ambientais na produção. Pior ainda é quando o código precisa ser constantemente reformulado porque uma pessoa desenvolvedora escolhe fazer algo diferente sem considerar sua manutenção, ou como o sistema pode evoluir ao longo do tempo.

Lideranças Técnicas mais experientes entendem que devem equilibrar seu tempo para programar com outras responsabilidades. Elas dividem seu tempo diariamente, ou pelo menos semanalmente, para garantirem que vão utilizar seu tempo abraçando outras responsabilidades, como construir uma visão arquitetônica compartilhada, identificar e tratar riscos técnicos, envolver-se em sessões de planejamento e se concentrar na coesão e coerência do time e do código.

2. Tomar todas as decisões técnicas

Uma Liderança Técnica de primeira viagem pode às vezes ser a pessoa desenvolvedora mais experiente no time, ou sentir pressão para tomar todas as decisões técnicas para demonstrar sua autoridade ou influência. Quando uma Liderança Técnica está tomando todas as decisões técnicas, ela se torna um obstáculo no time, que por sua vez não consegue progredir quando a Liderança Técnica não está por perto. Outros membros do time podem sentir desmotivação quando a Liderança Técnica toma todas as decisões importantes, porque as suas contribuições são rejeitadas e isso pode trazer ressentimento.

Lideranças Técnicas mais experientes percebem que existem diferentes formas de tomar decisões, e que, muitas vezes, a melhor decisão resulta de uma amplitude de experiências e do conhecimento de todo o time. Elas podem recorrer às seguintes técnicas, dependendo do quão crítica uma decisão é, do quão rápido ela deve ser tomada, e de quanto comprometimento esperam de membros do time:

  • Apenas delegar - Uma Liderança Técnica passa a decisão para outra pessoa, sem qualquer outra interação
  • Oferecer conselhos – Ela delega a decisão a outra pessoa, mas oferece contribuir com informações e opiniões para consideração
  • Questionar - Delega a decisão a outra pessoa, mas questiona sobre o resultado e os fatores que levaram à decisão posteriormente
  • Formar um consenso - Une todos os membros do time para encontrar uma solução que agrade a todos
  • Consultar o time - Solicita opiniões de membros do time, sintetiza a informação, mas no final das contas toma a decisão final
  • Ser autocrática - Usa as informações que precisa para tomar uma decisão, escolhendo envolver ou não os membros do time, mas informa a todos sobre o resultado.

3. Esquecer de Cultivar uma Cultura de Time

Um time é um grupo de pessoas que trabalham em conjunto para atingir o mesmo objetivo. A Liderança Técnica de primeira viagem pode erroneamente exercer seu papel de liderança em todos os aspectos técnicos e esquecer-se de como o time trabalha em conjunto. Embora essa responsabilidade possa ser compartilhada com outros papéis na empresa, como a Liderança de Times ou Gerentes de Projetos, uma Liderança Técnica também deve zelar para que o time se mova na mesma direção técnica.

É muito fácil para a Liderança Técnica de primeira viagem ignorar discussões acaloradas entre pessoas desenvolvedoras, ou ignorar como membros técnicos do time interagem mal ou desrespeitam membros não-técnicos do time.

As Lideranças Técnicas mais experientes percebem que a parte de liderança do seu papel é tão importante quanto a de tecnologia, e procuram formas de construir confiança e relações entre as pessoas no time constantemente. Elas usam práticas como desenhar diagramas de arquitetura em um quadro branco em conjunto, estabelecer a codificação ou princípios de arquitetura com o time para orientar decisões individuais, ou executar katas de melhoria regulares ou retrospectivas.

Conclusão

Three Common Mistakes of the First Time Tech Lead

A Liderança Técnica de primeira viagem pode facilmente cair em um número de armadilhas, muitas vezes causadas por hábitos criados nos tempos de desenvolvimento. Para superar essas armadilhas, elas devem encontrar maneiras de manter um equilíbrio entre suas responsabilidades técnicas e de liderança.

Saiba mais sobre as experiências de outras Lideranças Técnicas no livro do Patrick 'Talking with Tech Leads'. Você pode baixar uma amostra grátis do livro aqui.​