Enable javascript in your browser for better experience. Need to know to enable it? Go here.
As informações desta página não estão completamente disponíveis no seu idioma de escolha. Esperamos disponibiliza-las integralmente em outros idiomas em breve. Para ter acesso às informações no idioma de sua preferência, faça o download do PDF aquí.
Atualizado em : Jul 08, 2014
NÃO ENTROU NA EDIÇÃO ATUAL
Este blip não está na edição atual do Radar. Se esteve em uma das últimas edições, é provável que ainda seja relevante. Se o blip for mais antigo, pode não ser mais relevante e nossa avaliação pode ser diferente hoje. Infelizmente, não conseguimos revisar continuamente todos os blips de edições anteriores do Radar. Saiba mais
Jul 2014
Experimente ? Vale a pena ir atrás. É importante entender como desenvolver essa capacidade. As empresas devem experimentar esta tecnologia em um projeto que possa lidar com o risco.
The Play Framework 2 blip has generated many internal discussions. We had competing suggestions to move it to adopt and hold. These differences relate primarily to the specific applications for which it is used, how it is used, and what expectations people have for it. While none of these issues are unique for Play, Play has generated far more controversy than is typical in the standard library versus framework debate. We reiterate the cautions stated in the previous radar, and we will monitor how Play continues to mature to support its sweet spot.
Jan 2014
Experimente ? Vale a pena ir atrás. É importante entender como desenvolver essa capacidade. As empresas devem experimentar esta tecnologia em um projeto que possa lidar com o risco.
May 2013
Experimente ? Vale a pena ir atrás. É importante entender como desenvolver essa capacidade. As empresas devem experimentar esta tecnologia em um projeto que possa lidar com o risco.
The recent release of Play Framework 2.1.1 with support for controller dependency injection, asynchronous, non-blocking I/O, a code-reload workflow, database migrations, asset pipelining, and flexible deployment options has made it more attractive to developers. For this reason Play re-appears on the radar as something for teams to seriously consider when building web applications and services on the JVM. A word of caution however, Play embraces a functional programming style which, when working with the Java language, still translates into a plethora of static methods that may be difficult to unit test outside a running server.
Publicado : May 22, 2013
Radar

Baixar o Technology Radar Volume 26

English | Español | Português | 中文

Radar

Mantenha-se por dentro das tendências de tecnologia

 

Seja assinante

Visite nosso arquivo para acessar os volumes anteriores