Enable javascript in your browser for better experience. Need to know to enable it? Go here.
10 passos para reduzir o impacto da Síndrome do Impostor

10 passos para reduzir o impacto da Síndrome do Impostor

Deixe-me começar apresentando-me. Sou Matheus e trabalhei em diferentes funções, em diferentes projetos e verticais, em empresas e institutos de pesquisa: desenvolvimento, análise de negócios, análise de requisitos, liderança técnica, políticas de inovação e gerenciamento de projetos. Com o tempo, migrei para cargos de liderança sênior e, nos últimos anos, estou atuando como diretor-presidente da Thoughtworks Espanha, além de fazer parte da equipe de liderança global da empresa.

 

Algumas semanas atrás, tive uma sessão com uma das pessoas de quem sou mentor. Ele me pediu para falar um pouco sobre a famoso Síndrome do Impostor. Para me preparar para esta sessão, fiz anotações de coisas que me ajudaram a superar minha própria Síndrome do Impostor no passado. No final, tivemos uma discussão incrível! Portanto, decidi remover todos os exemplos pessoais e histórias anedóticas e compartilhar o que restou aqui. Eu não criei a maioria desses itens, eu os coletei de livros, apresentações e artigos que li e alguns são de percepções pessoais. Mas tudo aqui está relacionado a práticas que experimentei pessoalmente e que funcionaram para mim. Sem mais delongas, aqui estão os 10 passos para reduzir o impacto que a Síndrome do Impostor tem sobre você:

Imposter syndrome

1. Quebre o silêncio

  • Fale sobre isso com alguém em quem você confia de vez em quando.
  • Entenda que todo mundo sente isso.
  • Dê nomes aos seus sentimentos (esta é uma ferramenta poderosa usada em sessões de terapia)

 

2. Separe os sentimentos dos fatos

  • Há momentos em que você se sentirá tolo. Acontece com todo mundo de vez em quando. Perceba que só porque você pode se sentir tolo, não significa que você seja.
  • Avalie seus resultados e os resultados das equipes que você lidera. Concentre-se nisso, não em seus sentimentos negativos.

 

3. Peça feedback

  • Peça feedback específico sobre áreas que você pode sentir como uma pessoa impostora. Digamos que você ache que não está indo bem na comunicação, você pode ir a alguém de sua confiança e perguntar: "Como eu me saí na última apresentação? Há algo que devo fazer diferente?" Você se surpreenderá com os resultados.

 

4.  Concentre-se nas coisas positivas

  • Comemore suas vitórias, de verdade.
  • Aceite feedback positivo.
  • Concentre-se no positivo e nas soluções, em vez de fixar nos problemas. Isso levará você e sua equipe a um lugar incrível.

 

5.  Desenvolva uma resposta saudável ao fracasso e aos erros

  • Cometer erros, aprender com eles e mudar é como crescemos. No dia em que você parar de cometer erros, também vai parar de evoluir!
  • "Construir-aprender-melhorar-construir de novo" é muito melhor do que cair na armadilha "construir-construir-construir".

 

6.  Você não precisa saber tudo com antecedência, você pode pedir ajuda

  • Se você está operando sob regras equivocadas como: “Devo sempre saber a resposta” ou “Nunca peça ajuda”, repense. Uma boa liderança reconhecerá quando não tiver a resposta, e isso é ok.
  • Reconheça que você tem tanto direito quanto a próxima pessoa de cometer erros.
  • Mostrar vulnerabilidade não é uma coisa ruim.

 

7.  Entenda seus gatilhos / sintomas

  • "Nossa, todo mundo aqui é brilhante". Pensamentos como esses são muito prováveis de desencadear a Síndrome do Impostor. Tente entender quais são os gatilhos ou sintomas de seus sentimentos do Impostor e fique cada vez mais ciente disso.

  • Ser minoria em um grupo (idade, sexo, posse, etnia, etc.) também pode ser desencadeante.
  • Novos papéis, novas equipes, novos clientes geralmente são gatilhos.
  • Reconheça seus gatilhos e quais emoções eles desencadearam. Somente fazendo isso, eventualmente eles perdem o poder sobre você.

 

8. Aceite que você traz algo para a mesa

  • Todas as pessoas são únicas e podem contribuir. Você não está aqui por engano.

 

9. Finja até você conseguir

  • Sentir-se uma pessoa impostora e ter medo é um padrão comum.
  • O medo tem uma razão biológica de existir. Na Thoughtworks Brasil dizemos “Coragem não é ausência de medo, mas sim seguir em frente de qualquer maneira, mesmo com medo”.
  • O problema é se se tornar patológico, se for o caso, tente estes passos aqui e/ou peça ajuda.
  • Quanto mais você agir com confiança dentro de suas capacidades, mais você se sentirá confiante e mostrará isso para o mundo.

 

10.  Encontre maneiras de ser uma pessoa espontânea

  • Coloque alguns limites no último, finja até conseguir.
  • Usar "máscaras" o tempo todo ou fazer um esforço consciente para "se comportar" ou "provar seu valor" o tempo todo requer muita energia mental que poderia ser usada para a criatividade.
  • Eu sugiro que você descubra que tipo de ambiente o torna mais espontâneo e aproveite isso.
  • A espontaneidade desbloqueia o melhor de nós.

E para finalizar, a Síndrome do Impostor ainda acontece de vez em quando. O truque é não desistir, siga estes passos e você verá como gradualmente aumentará sua autoconfiança e suas habilidades.

Aviso: As afirmações e opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade de quem o assina, e não necessariamente refletem as posições da Thoughtworks.

Keep up to date with our latest insights