Menu

As informações desta página não estão completamente disponíveis no seu idioma de escolha. Esperamos disponibiliza-las integralmente em outros idiomas em breve. Para ter acesso às informações no idioma de sua preferência, faça o download do PDF aqui.

NOT ON THE CURRENT EDITION
This blip is not on the current edition of the radar. If it was on one of the last few editions it is likely that it is still relevant. If the blip is older it might no longer be relevant and our assessment might be different today. Unfortunately, we simply don't have the bandwidth to continuously review blips from previous editions of the radarUnderstand more
Apr 2019
Experimente?

Istio está se tornando a infraestrutura de fato para operacionalizar um ecossistema de microsserviços. Sua implementação de funcionalidades transversais – como descoberta de serviço, segurança de serviço-a-serviço e de origem-a-serviço, observabilidade (incluindo telemetria e rastreamento distribuído), rolling releases e resiliência – tem nos ajudado a iniciar implementações de microsserviços muito rapidamente. É a principal implementação da técnica de malha de serviços que temos usado. Estamos aproveitando as implantações mensais e suas melhorias contínuas com atualizações impecáveis. Usamos Istio para fazer bootstrap em nossos projetos, começando com a observabilidade (monitoramento e telemetria) e segurança de serviço-a-serviço. Estamos observando de perto suas melhorias para autenticação serviço-a-serviço tanto dentro como fora da malha. Também gostaríamos de ver Istio estabelecer boas práticas para arquivos de configuração, para encontrar um equilíbrio entre dar autonomia a pessoas desenvolvedoras de serviço e controle aos operadores da malha de serviços.

Nov 2018
Avalie?

When building and operating a microservices ecosystem, one of the early questions to answer is how to implement cross-cutting concerns such as service discovery, service-to-service and origin-to-service security, observability (including telemetry and distributed tracing), rolling releases and resiliency. Over the last couple of years, our default answer to this question has been using a service mesh technique. A service mesh offers the implementation of these cross-cutting capabilities as an infrastructure layer that is configured as code. The policy configurations can be consistently applied to the whole ecosystem of microservices; enforced on both in and out of mesh traffic (via the mesh proxy as a gateway) as well as on the traffic at each service (via the same mesh proxy as a sidecar container). While we're keeping a close eye on the progress of different open source service mesh projects such as Linkerd, we've successfully used Istio in production with a surprisingly easy-to-configure operating model.