Menu

Palavras e influência: por que tecnologistas devem aprender retórica

No mundo de hoje, nunca é demais falar do poder das palavras e da comunicação eficiente.

Como tecnologista, você pode ter pensado que poderia se esconder atrás de uma tela de computador. Não mais. Os dias em que programas eram desenvolvidos em um quarto escuro e solitário terminaram. Pode ser o caso de você ter que ensinar uma ferramenta de software para a equipe e discutir sobre seus benefícios. Ou, talvez você tenha que influenciar o cliente a adotar uma nova tecnologia ou metodologia. Pode ser que você tenha a oportunidade de falar com a comunidade local de software sobre o seu trabalho. E, às vezes, você pode ter que explicar a sua grande ideia de projeto para um grupo de investidores e convencê-los a apoiar o seu trabalho. Em todas essas situações, a sua capacidade de falar é determinante para o seu sucesso. "Discurso é poder: o discurso é persuadir, para converter, para obrigar.” - Ralph Waldo Emerson, ensaísta e poeta norte-americano.

A coisa mais importante que devemos saber sobre falar em público é que é tudo sobre as pessoas para quem você está falando. O sujeito, o tipo de abordagem, a estrutura do layout, o estilo, etc., tudo é feito para o público. Um filósofo espanhol disse uma vez: "a fala é como um banquete, a louça fina é usada para agradar os convidados, não os cozinheiros." Tenha isso em mente. Não é à toa que tantos livros e artigos sobre formas eficazes de apresentação, escrita, blogs e palestras insistem no ponto "conheça o seu público".

“O sucesso de sua apresentação será julgado não pelo conhecimento que você envia, mas pelo que o ouvinte recebe.” - Lilly Walters, palestrante profissional.

Por que devemos estudar como falar em público?

Transmitir uma mensagem para causar o impacto desejado não é uma questão qualquer. Alexander Gregg, um proeminente clérigo episcopal, disse: “Há três coisas a buscar para falar em público: em primeiro lugar, você precisa se colocar dentro seu assunto; em seguida, você precisa colocar seu assunto dentro de si mesmo; e, por último, colocar seu assunto no coração do seu público”. Aqui estão algumas perguntas para refletir sobre o que pode estar em jogo em uma fala:

  1. Quais são as chances de que uma pessoa entenda, através de uma palestra, um assunto no qual você passou horas e horas trabalhando?
  2. As pessoas para quem você está falando dão o mesmo valor que você dá para o problema em questão?
  3. Como você sabe se o seu vocabulário é entendido?
  4. Como transmitir a emoção e a paixão por uma causa, motivando as pessoas a lembrarem de uma chamada à ação e apoiá-la?
  5. Como usar gestos, entonação e mídia em uma apresentação?
  6. Como estruturar uma ideia complexa para ser apresentada em 5 minutos?

Estas perguntas, e muitas outras, vêm para aumentar a consciência de como falar em público pode ser difícil. A verdade é que raramente a fala em público é algo intuitivo para nós. Todos precisamos pensar mais sobre essa habilidade e treinar nossos músculos retóricos, cometer erros e começar tudo de novo, até o dia em que consigamos provocar as ações que queremos através de nossas palavras.

Marcos Silveira presenting

A tradição

Eu não tenho certeza se é um erro de amostragem nas minhas observações ou simplesmente uma diferença na percepção de valor, mas acho que a nossa geração tem aversão à teoria. Blogs com títulos como "10 dicas práticas para falar bem em público" parecem ser mais populares do que o "2,500 years of rhetoric - a manual on the science of persuasion" (2500 anos de retórica - um manual sobre a ciência da persuasão). As pessoas estão muito mais dispostas a tomar o caminho horizontal - o quanto você aprende - do que o vertical - o quão profundamente você aprende.

Como tecnologistas, temos outro problema: falar em público nunca foi parte do nosso currículo. Não sabemos fazer isso, e por isso relegamos nossas habilidades discursivas a um foco secundário, sem saber o quanto nossa eficiência como profissionais piora por causa disso. A realidade é que as pessoas têm estudado e aplicado a retórica por milênios, entregando suas conclusões de uma forma fundamentada. Como Platão veio a concluir que a retórica é "A arte de ganhar a alma pelo discurso"? E Aristóteles que "é a capacidade de conseguir qualquer coisa disponível por meio de persuasão"? Locke observou a desvantagem da retórica, quando ele disse que é um "poderoso instrumento de erro e engano". Gerard Hauser, um estudioso mais contemporâneo, disse que a retórica é a "comunicação tentando coordenar a ação social ... seu objetivo é influenciar as escolhas humanas em questões específicas que exigem uma ação imediata".

Talvez você esteja pensando que tudo isso é um pouco demais para uma apresentação de apenas 15 minutos para os seus colegas. Na verdade, a essência é a mesma. Você está transmitindo uma mensagem que você espera que tenha algum efeito sobre o seu público.

A ideia de que fazer é tão importante quanto falar é muito comum. "Nós não devemos apenas falar [grande], temos que agir grande!" disse Theodore Roosevelt. Na verdade, os discursos sem efeito prático estão vazios. E também é verdade que as palavras sem o apoio dos fatos foram muitas vezes usadas para manipular as pessoas. Isso deve ser um alerta quanto aos maus usos da retórica, sem fazer-nos esquecer o seu valor quando usada corretamente.

Se você quer transmitir ideias com clareza, transformar a realidade e ter um impacto sobre a vida diária das pessoas em qualquer campo, é essencial que você domine a arte de falar em público.

Nos próximos posts, vamos olhar para um pouco do que a ciência da retórica tem a nos ensinar, enquanto tentamos torná-la mais uma parte da nossa vida diária pessoal e profissional.