Enable javascript in your browser for better experience. Need to know to enable it? Go here.
Atualizado em : Oct 28, 2020
Not on the current edition
This blip is not on the current edition of the Radar. If it was on one of the last few editions it is likely that it is still relevant. If the blip is older it might no longer be relevant and our assessment might be different today. Unfortunately, we simply don't have the bandwidth to continuously review blips from previous editions of the Radar Understand more
Oct 2020
Evite ? Prossiga com cautela.

As tecnologias, especialmente as extremamente populares, tendem a ser usadas excessivamente. O que estamos vendo no momento é o uso excessivo de Node.js , uma tendência a usar o Node.js indiscriminadamente ou pelos motivos errados. Entre estes, dois se destacam em nossa opinião. Primeiramente, ouvimos frequentemente que o Node.js deve ser usado para que toda a programação possa ser feita em apenas uma linguagem de programação. Nossa opinião é de que a programação poliglota é uma abordagem melhor, e isso vale nos dois sentidos. Em segundo lugar, geralmente ouvimos times citando o desempenho como uma razão para escolher o Node.js. Embora existam inúmeros benchmarks mais ou menos razoáveis, essa percepção está enraizada na história. Quando o Node.js se tornou popular, foi o primeiro grande framework a adotar um modelo de programação de não-bloqueio, que o tornou muito eficiente para tarefas pesadas de IO (mencionamos isso na redação do blip do Node.js. em 2012). Devido à sua natureza de thread única, o Node.js. nunca foi uma boa opção para cargas de trabalho pesadas em computação, e agora que existem frameworks não-bloqueadores eficientes em outras plataformas — alguns com APIs elegantes e modernas — o desempenho não é mais um motivo para escolher o Node.js.

May 2020
Evite ? Prossiga com cautela.
publicado : May 19, 2020
Radar

Baixar o Technology Radar Volume 25

English | Español | Português | 中文

Radar

Mantenha-se por dentro das tendências de tecnologia

 

Seja assinante

Visite nosso arquivo para acessar os volumes anteriores