Enable javascript in your browser for better experience. Need to know to enable it? Go here.
Perspectives by Thoughtworks - Edition 3 banner
Perspectives by Thoughtworks - Edition 3 banner

EDIÇÃO #3 | FEVEREIRO 2019

As duras verdades sobre transformação

Leia o relatório completo

Sua empresa está meio de um processo de transformação – ou planejando um? Então precisamos conversar.

A era digital estimula as empresas a experimentarem de tudo, desde investir em novas contratações até testar novos modelos de negócios. Muitas empresas estão reformulando ativamente infraestruturas legadas e adotando tecnologias de ponta como parte do esforço para acompanhar as mudanças impulsionadas pelo digital. E uma série de consultorias, cursos e soluções vem emergindo com a promessa de ajudá-las nessa jornada.


Nomes de peso como UPS e WPP estão ativamente nomeando líderes de transformação. Os gastos globais em tecnologias e serviços de transformação digital tendem a crescer a uma taxa composta anual de 16,7%, atingindo quase US$ 2 trilhões em 2022.

O aumento global dos gastos em transformação digital

Diagrama - gastos com transformação
Fonte: IDC

Transformar não significa todo mundo fazendo a mesma coisa

Embora seja necessário haver um alinhamento compartilhado por toda a organização em torno de um resultado final, a transformação pode exigir coisas muito diferentes de diferentes funções e equipes.


Eles podem trabalhar em iniciativas avaliadas por diferentes métricas para melhorar suas capacidades e contribuir para o resultado comum.

“Uma das coisas importantes sobre a maioria dos processos de transformação é que não há uma medida única de sucesso. Pode haver muitas, dependendo da área da empresa.”

David Robinson, líder de transformação de negócios na Thoughtworks

Transformar não é a única coisa que importa

Na transformação, há uma tendência de enfatizar o revolucionário. Mas o que muitas empresas não percebem é que o ponto de partida para o sucesso é executar melhor o velho business as usual (BAU).


A transformação é, portanto, um exercício de equilíbrio entre facilitar a mudança e assegurar que o BAU não seja negligenciado ou privado de recursos, porque isso pode significar problemas maiores mais tarde.

Principais obstáculos para inovação e transformação de negócios

Diagrama - obstáculos para a inovação
Fonte: Rimini Street Survey

A transformação nem sempre é horizontal 

Estruturas horizontais só podem levar uma empresa até certo ponto. Novas abordagens muitas vezes exigem um novo modelo de liderança – que seja consultiva e habilite os times, mas que também não tenha medo de definir a direção ou fornecer "cobertura" quando necessário.


A transformação é melhor governada por um tipo muito particular de liderança. Que seja ousado e visionária o suficiente para definir o tom e reajustar as linhas de autoridade, mas também disposta a se retirar dos processos de tomada de decisão para atender aos interesses de agilidade e transparência.

Um dos passos mais afirmativos que uma liderança pode dar em um projeto de transformação é deixar claro para sua equipe e para a organização que ela não tem todas as respostas, e que confia em sua equipe para resolver problemas. E que ela estará lá para ajudar, mas não vai tomar as decisões sempre.”


Brigid O’Brien, consultora principal da Thoughtworks

Falhar rápido não é suficiente

Embora a transformação geralmente envolva tentar e aprender com os erros, é importante não "fetichizar" a falha ou criar um ambiente totalmente livre de repercussões, no qual ideias limítrofes têm espaço para se multiplicarem. Há uma linha tênue entre aceitar uma certa quantidade de falha produtiva e tornar a falha uma meta por si só.


Embora a "falha rápida" possa ser um bom ponto de partida, um mantra melhor pode ser "falhe rápido, mas aprenda mais rápido ainda."

Você deve criar uma alta tolerância à falha, mas uma baixa tolerância à incompetência. Essa mentalidade deve ser apoiada por uma liderança que deixa nítido o que é aceitável e o que não é, garantindo a que exista responsabilidade.”


Jonathan Pangrazio, consultor principal na Thoughtworks

Não é apenas sobre pessoas e cultura 

Muitas lideranças de negócios veem pessoas e cultura como as principais agentes de transformação, e despejam recursos em ajustes organizacionais ou na criação de novas equipes. Ao focar nos aspectos "humanos" da transformação, é vital lembrar que mudanças duradouras precisam ser construídas sobre fundamentos sólidos de tecnologia.


Os obstáculos comuns à transformação, como a incapacidade de departamentos separados de compartilhar dados com eficácia, não podem ser resolvidos alterando a maneira como as pessoas trabalham. Eles exigem mudanças profundas (e eventualmente dolorosas) nos sistemas e na arquitetura corporativa.

Principais obstáculos para a transformação

Diagram - Biggest roadblocks to transformation

Responsividade não significa responder a tudo 

Entregar mais valor a clientes é uma medida importante do sucesso da transformação. Mas tornar-se uma organização mais responsiva não significa fazer tudo que clientes (ou dados) parecem estar dizendo. São necessárias decisões difíceis sobre mudanças nos sistemas e nas prioridades da empresa.

Na inovação, você planta várias sementes e, à medida que elas brotam, às vezes é preciso cortá-las, porque cada uma delas representa mais custos e complexidade.


Brigid O’Brien, consultora principal na Thoughtworks

Perspectives na sua

caixa de entrada

Insights de tecnologia e negócios para líderes digitais.

Inscreva-se para receber artigos, podcasts, vídeos e convites para eventos e webinars com os pontos de vista de especialistas da Thoughtworks sobre temas relevantes.

Marketo Form ID is invalid !!!

Conheça também a Coragem, uma revista sobre negócios, cultura e tecnologia no Brasil