Menu
Perspectives by ThoughtWorks - Edition 7 banner
Perspectives by ThoughtWorks - Edition 7 banner
Parte 3: Organizações

Criando uma empresa colaborativa


Remover o atrito para permitir uma colaboração contínua em toda a empresa aumenta a capacidade da organização de gerar valor. Quando as barreiras entre departamentos internos e silos são quebradas, os times podem combinar conhecimento e ativos para aprimorar produtos e serviços, reutilizar os ativos de negócios existentes de novas maneiras e co-criar as soluções do futuro.


A colaboração em toda a organização precisa ser suportada por plataformas digitais que permitam conexões entre diferentes segmentos de negócio e forneçam a diversos times um terreno comum e acesso ao mesmo conjunto de recursos tecnológicos. A adoção dessas plataformas e dessa mentalidade fornece uma base para as principais decisões tecnológicas, simplificando o ecossistema de negócios, estimulando a inovação e acelerando a entrega em diferentes áreas. 



Como funciona na prática 


Nosso framework de estratégia de plataforma digital é um modelo para construção de plataformas com base em cinco áreas de foco fundamentais. Em conjunto, elas quebram a complexidade de uma plataforma corporativa, garantindo que as classes de tecnologia fundamental se combinem para preencher as lacunas organizacionais, permitir que novos ecossistemas floresçam e gerem resultados para o negócio.

Infraestrutura de entrega

Infraestrutura de entrega: A infraestrutura elástica e as ferramentas relacionadas, juntamente com a construção, implantação e monitoramento simplificados, permitem que os times de engenharia entreguem de forma rápida e segura, com controles e suporte de auditoria adequados. Isso endereça diretamente o atrito da entrega, reduzindo o tempo de colocação de novos produtos e serviços no mercado.

Arquitetura e remediação de AP

Arquitetura e remediação de API: Experiências de cliente envolventes, que evoluem para atender às mudanças nas condições de mercado, exigem o aproveitamento máximo dos ativos e capacidades existentes. A abordagem de API e arquitetura deve incluir a remediação de sistemas legados, para que eles revelem efetivamente os principais ativos que podem ser reutilizados ou criados pelos times de desenvolvimento. Uma plataforma de APIs self-service que se sobrepõe à complexidade subjacente do processo, técnica e operacional, permite que os times de toda a empresa experimentem facilmente e lancem novas soluções voltadas para clientes em resposta às demandas do mercado. A plataforma pode ser estendida para facilitar a colaboração com clientes e parceiras – abrindo caminho para os ecossistemas do setor.

Dados self-service

Dados self-service: As empresas dependem cada vez mais da análise em tempo real para fortalecer as decisões. A plataforma de dados, portanto, deve ser onipresente na organização, agilizando o uso, gestão e operação de tecnologias de dados complexas para fornecer inteligência sob demanda. A plataforma também deve oferecer suporte a um ecossistema self-service de ativos de dados curados, abordando questões estratégicas como propriedade e autorização de uso de dados.

Telemetria e infraestrutura de experimentação

Telemetria e infraestrutura de experimentação: A inovação vive e morre pela capacidade de aprender rapidamente por meio de experimentação intencional e medida. Usando processos, arquitetura e instrumentação ágeis, a infraestrutura de experimentação ajuda a organização a tomar as decisões corretas sobre experimentos e investimentos, colocando-os em teste em um ambiente controlado e transparente.

Tecnologia de pontos de contato de cliente

Tecnologia de pontos de contato de cliente: Conhecimento sobre clientes é a base da entrega de valor. Em conjunto, uma estratégia de conteúdo consistente, uma visão organizacional única de clientes e a telemetria transparente fornecem insights sem precedentes, que abrem o caminho para ofertas de produtos altamente personalizadas. Elas suportam novos fluxos de valor direcionado que pode ser entregue rapidamente em vários canais.

Por que é importante


Uma plataforma digital robusta não apenas fornece uma base para a colaboração organizacional, mas ajuda a garantir que a colaboração seja rápida, indolor e eficaz, incentivando o trabalho em time e promovendo um ciclo virtuoso de cooperação e resultados positivos.


"(Uma plataforma) ajuda a acelerar o tempo de conversão de conceito em dinheiro, com experimentação ou obtendo informações do público consumidor", diz Vinod Santhanam, líder de Digital Platforms Practice na ThoughtWorks. "Importante ressaltar que também aumenta a estabilidade geral do sistema – e isso leva a times mais felizes e produtivos e melhora a experiência de desenvolvimento."



O que pode atrapalhar


Embora a tecnologia possa fornecer a base, também é vital que a gerência sênior ofereça aos times espaço e ímpeto para colaborar em uma plataforma digital, e deixe explícito como isso contribuirá para os resultados do negócio. Deixar de fazer isso ou adotar uma abordagem "construa e o público virá" pode resultar em colaboração limitada ao nível técnico. 


"Conectar muita tecnologia junta com a esperança de que as pessoas a usem como pretendido, não significa resultado, valor ou uso orientado a caso; ou apenas executar uma iniciativa arquitetural de baixo para cima – esses são os principais modos de falha na criação de plataformas", afirma a consultora principal da ThoughtWorks Zhamak Dehghani.



Como fazer acontecer 


Além da tecnologia colaborativa, a empresa precisa ser imbuída de um senso de objetivo comum, no qual o foco nas responsabilidades departamentais não faz os times perderem de vista os objetivos gerais – a maioria dos quais se concentrará em agregar valor para clientes, internos ou externo.

 

"Todo time deve funcionar como um time de produto", afirma Ryan Murray, diretor de Digital Platform Strategy na ThoughtWorks. "O produto pode ser tecnologia, mas eles desejam entender os objetivos de clientes internos e descobrir como torná-los bem-sucedidos. Vemos essa mentalidade nos pontos de contato de clientes (externos), mas você realmente precisa trazê-la para todos os níveis da organização."  



Principais motivadores tecnológicos 


A tecnologia em nuvem é a facilitadora fundamental das plataformas que suportam a colaboração organizacional. Mas a arquitetura baseada em nuvem deve ser vista como a infraestrutura na qual vários recursos de negócios podem ser criados.


Esses recursos (e as tecnologias nas quais eles se baseiam) variam de acordo com os resultados de negócios exigidos, mas serão amplamente agrupados nas áreas de foco da plataforma que descrevemos, fornecendo dados acionáveis, conexão com clientes ou simplificando o desenvolvimento e a entrega de produtos ou serviços.


Juntos, mesmo que inicialmente associados a funções separadas, os recursos da plataforma se tornam "grandes oportunidades para acelerar o tempo de lançamento no mercado, agregar segurança e permitir repetibilidade para o resto da organização", observa Murray.

Perspectives na sua

caixa de entrada

Insights de tecnologia e negócios para líderes digitais.

Inscreva-se para receber artigos, podcasts, vídeos e convites para eventos e webinars com os pontos de vista de especialistas da ThoughtWorks sobre temas relevantes.

Conheça também a Coragem, uma revista sobre negócios, cultura e tecnologia no Brasil